A origem das lentes oftálmicas

Os óculos podem ser um dos objetos mais úteis de nossa vida, mas surpreendentemente, as circunstâncias de sua invenção permanecem bastante incertas.

Parte 1: Antiguidade (700 a.C. – 400 d.C.)

O interesse pela óptica começou há muito tempo atrás, na Antiguidade. As primeiras lentes conhecidas foram encontradas entre os restos das civilizações egípcia e mesopotâmica. As lentes eram feitas de cristal polido, principalmente de quartzo, e usadas ​​como uma lupa ou vidro para iniciar o fogo, concentrando os raios de sol em uma área pequena, ou para apagar escritos em tábuas de cera. A lente mais antiga é chamada de “Lente de Nimrud”. Pertencente à civilização Assíria, essa lente tem 3.000 anos de idade.

As teorias da óptica foram desenvolvidas por tentativa e erro pelos filósofos greco-romanos. Platão elaborou a teoria da emissão, que propôs que a percepção visual acontece devido a raios emitidos por nossos olhos. Mais tarde, Euclid estudou óptica de um ponto de vista matemático. Estas ideias desenvolvidas neste momento foram posteriormente extendidas por sábios muçulmanos, como Alhazen. Muitos manuscritos referem-se ao uso de pedra e cristal. Até onde sabemos, o imperador romano, Nero, estava usando uma esmeralda para ver melhor as lutas dos gladiadores.

 

Leia – Parte 2: A história das lentes oftálmicas na Idade Média